Viajando para Malta: informações gerais

malta_bluelagoon

Olha que eu já viajei um bocado, mas essa viagem a Malta no final de junho foi uma das minhas mais aguardadas e ansiadas até agora. Eu pesquisei muito sobre esse destino antes de ir, e tive a oportunidade de conhecer o país com um grupo de 4 amigos que incluía um maltês, além de me hospedar com uma senhora maltesa (minha primeira vez em Airbnb). Por isso, tive o privilégio de mergulhar na cultura local e vivenciar experiências além dos guias turísticos.

Malta é um dos menores países da Europa (e do mundo), com 316 km2 e pouco mais de 400 mil habitantes. Trate-se de um arquipélago no meio do Mar Mediterrâneo, entre a Itália e o norte da África. A ilha maior e principal é chamada de Malta; a ilha vizinha é Gozo; e a minúscula ilha entre as duas – pequena demais para ser habitada – é Comino.

malta_map1

malta_map2

Existem voos de diversos países da Europa para o aeroporto internacional de Malta (MLA), inclusive da companhia aérea econômica Ryanair. Quase todos os habitantes locais falam inglês (os idiomas oficiais são maltês e inglês), e a moeda é o euro – o que facilita muito pros turistas.

O que esperar de Malta
Malta é um destino tanto para aproveitar praias, quanto para fazer passeios históricos. Por todo o lado se veem construções de pedra, de cor bege, típicas do Mediterrâneo e do Oriente Médio. Há diversas praias paradisíacas e de água límpida. Mas, ao contrário do que se possa imaginar, não é um país muito verde, especialmente no verão – a paisagem é árida e seca, com cactos e areia batida, quase lembrando um deserto. Algumas poucas regiões são mais chiques, mas em geral a atmosfera é bem simples e casual. A vida noturna se concentra em Paceville, uma área em St. Julian’s, frequentada na maior parte por pessoas bem jovens (~15-20 anos) e/ou turistas. O trânsito às vezes é lento, por não haver muitas opções de caminhos entre um lugar e outro. Apesar de ser um país com uma das maiores densidades populacionais do mundo, não é comum ver muita gente na rua em algumas cidades. Aliás, são cidades na prática, mas com tamanho de bairros. O povo é extremamente amigável e acolhedor, e muitas vezes eu me senti como se estivesse no Brasil.

Quando ir
Malta tem temperaturas amenas e é, em geral, ensolarada durante o ano inteiro, mas entre outubro e maio talvez não esteja quente o suficiente para aproveitar as praias. Por isso, o ideal seria visitar entre junho e setembro. Julho e agosto são sempre meses mais cheios, por ser alta temporada. Nós fomos no final de junho e já estava bastante quente (mais de 30°C durante o dia e uns 25°C à noite).

Como se locomover em Malta
Você deve decidir entre alugar um carro ou usar o transporte público.
Ter um carro à disposição é sem dúvida mais vantajoso, pela liberdade e conveniência. Mas tenha em mente que Malta usa a mão inglesa, por ter sido colônia britânica. O motorista se senta à direita no carro e dirige pela esquerda. Se isso não for problema, alugar um carro é o mais recomendável, pois você vai conseguir visitar mais lugares no tempo que tiver.
Mas também é possível conhecer Malta usando somente transporte público, e às vezes táxi. O problema é que alguns ônibus não passam muito frequentemente, e para muitos trajetos você precisa trocar de ônibus e esperar o seguinte, mesmo não sendo o caminho mais direto pro seu destino. Então a viagem certamente demora mais do que de carro, e é preciso mais planejamento com os horários, mas você também chegará ao seu destino.
Cada passagem pode ser usada por até 2 horas e custa 2 euros no verão ou 1,50 euros no inverno durante o dia, e 3 euros à noite. Se você for ficar por volta de 5 dias ou mais, provavelmente vale mais a pena comprar o cartão Tallinja Card ‘Explore’, de 21 euros e com passagens ilimitadas por 7 dias. Mais informações no site oficial do transporte público de Malta.

Quanto tempo ficar
Eu sou o tipo de turista que não gosta de perder tempo, e a minha sugestão é ficar pelo menos 5 dias inteiros lá. Nós vimos tudo o que queríamos em 6 dias inteiros, mais uma noite da chegada e uma manhã de partida (portanto, 7 noites). Mas isso porque nós fomos mimados pelo nosso amigo maltês, que nos levou para a maioria dos passeios de carro. Portanto, se você tiver um carro: 7 noites ou 6 dias inteiros é o suficiente para ver todos os pontos de interesse em Malta. Se for usar o transporte público, é necessário adicionar mais uns 2 dias à estadia – ou então deixar alguns destinos para uma outra oportunidade.

Onde se hospedar
As cidades com as melhores localizações para turistas são: St. Julian’s, Sliema e Valetta. Se você for contar com o transporte público para se locomover, eu recomendaria se hospedar em Valetta, pois para muitos trechos você precisa fazer baldeação lá de qualquer forma.


O segundo semestre de 2016 está apenas começando mas eu já acho que Malta foi a minha viagem favorita do ano! Altamente recomendado! 🙂

Veja aqui o itinerário completo sobre o que ver e fazer em Malta!

Anúncios

5 comentários sobre “Viajando para Malta: informações gerais

      1. Depende… A piscina que foi usada pelo pessoal do salto ontem estava verde alga, ao mesmo tempo que a do nado propriamente dita estava linda (vai entender)! Coisas do Brasil! Essa piscina das suas fotos é uma que deu certo! 😛

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s